quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Fisiologia do Baterista


Ao tocar bateria, nós fazemos o mesmo esforço e os mesmos movimentos oscilantes usados diariamente pelos atletas. Como resultado, nosso corpo sofre muitas das tensões como o corpo deles. Isso não significa que você tem que treinar como um atleta profissional. Há algumas diretrizes simples que você pode seguir para manter o equilíbrio físico. Na música, nós buscamos uma porção de equilíbrios, como ritmo, melodia e harmonia. Neste artigo, nos concentraremos em equilíbrios físicos.
Há 6 componentes básicos no equilíbrio físico:
  1. Alongamento
  2. Postura
  3. Mecânica do corpo
  4. Respiração
  5. Hidratação
  6. Ergonomia
Examinaremos cada um destes ítens mais de perto, com algumas sugestões úteis.
Alongamento – como qualquer atividade física, você tem que se alongar para alcançar uma boa flexibilidade. Em termos mais simples, flexibilidade é igual à força. Uma boa flexibilidade o manterá livre de dores e danos maiores ao seu corpo. Lembre-se: uma boa casa requer materiais fortes!
Uma coluna forte é extremamente importante para todo baterista. Nós estamos sentados quase 100% do tempo, e isso significa que ela está nos apoiando o tempo todo em que estamos tocando. Algumas pessoas lhe dirão para colocar um encosto no seu banco. Encostos são muletas. Elas não fixam nada. Nós precisamos atacar o problema, e não colocar uma bandagem nele! Você precisa esticar(manter uma posição correta) sua coluna antes que a dor apareça! Aqui vão algumas sugestões para você experimentar:
Sente-se em uma cadeira sem encosto. Ponha uma das pernas em um apoio, ou outra cadeira da mesma altura da que você está sentado. Observe se sua coluna e seus ombros estão retos. Com a perna esticada, abaixe sua cabeça até o joelho, mantendo a coluna reta. Assim você vai sentir uma leve “queimação” no músculo de trás da perna. Não force muito! Segure nesta posição por uns 5 segundos e retorne à posição inicial lentamente. Isso vai aliviar a tensão dos músculos da perna e da sua coluna. Repita o mesmo com a outra perna.
Tente este aqui: coloque a palma da mão nas costas e o cotovelo apontado para o teto, mantendo a coluna reta. Com a outra mão, você pode forçar, um pouco, o cotovelo deixando-o alinhado com sua coluna. Dê 3 respirações profundas para estirar. Este exercício ajuda na extensão de toda a parte superior do corpo e ajuda a alinhar a coluna.
Há uma outra coisa que nos devemos estar atentos. Nós carregamos muito peso em nosso trabalho, transportando equipamentos prá lá e prá cá. É importante que nós tenhamos muito cuidado ao carregar objetos pesados. Nunca dobre a coluna ao levantar um peso. Sempre dobre os joelhos.
A próxima área de preocupação são nossos antebraços e pulsos. Um modo para prevenir a tensão nos músculos da mão e antebraço é ter uma “pegada” relaxada. Me falaram uma vez que devemos pegar na baqueta como se segura um pássaro pequeno. Firme o bastante para não deixá-lo escapar, mas não tão apertado a ponto de esmagá-lo.
Do mesmo modo que a coluna, devemos alongar os antebraços e pulsos. Veja algumas dicas: ponha a palma de sua mão numa superfície plana, como por exemplo uma parede. Mantenha a mão bem aberta e deixe o antebraço 90º em relação à mão.
Agora, movimente um dedo de cada vez, tirando-o da parede e voltando a encostá-la. Isso vai exercitar o tendão de cada dedo separadamente.
Estenda agora seu braço com a palma da mão virada pra você, e os dedos apontando para baixo. Aperte suavemente sua mão à parede para estender os músculos de seu antebraço, mantendo o braço todo reto.
Seguindo esses exemplos e mais outros que você conhece de alongamento, você estará mais preparado para sua seção de prática ou uma “gig”. Lembre-se: para construir uma casa sólida, precisamos de um alicerce sólido. Mantenha-se alongado e com uma postura correta.
Postura - o primeiro passo para uma boa postura é ficar relaxado, sem produzir tensão alguma. Devemos manter um bom alinhamento do nosso corpo. Veja aqui um exemplo de má postura. Imagine um baterista que se apoia no seu kit, com seus ombros caídos para frente e a coluna envergada. Ele terá problemas mais cedo ou mais tarde. O próprio modo de sentar-se deve ser observado:
  1. seus ombros devem estar alinhados com seus quadris;
  2. procurar o centro de gravidade do banquinho e sentar-se jogando o peso do seu corpo para frente e não para trás;
  3. seus joelhos devem estar na mesma altura ou mais altos que seu quadril. Se você estiver sentado muito baixo, estará provocando muita tensão nas suas costas.
Lembre-se: uma boa postura é sempre relaxada, e não rígida.

Mecânica do corpo – você deve tocar observando e respeitando a mecânica do seu corpo.
O modo como tocamos nos tambores é muito importante. O movimento deve ter uma certa “fluência”. Permita com que a força de gravidade ajude você com os movimentos, trabalhe à favor da natureza e use movimentos naturais do seu corpo. Quando você pratica, tome um tempo para observar os movimentos naturais dos seus dedos, pulsos, antebraços, braços e pernas. Procure visualizar a mecânica que constitui nosso corpo e desfrute do que ela oferece. Desta maneira você poderá, por si mesmo, criar um novo campo de observações e desenvolver muito sua maneira de tocar corretamente.

Lembre-se de que cada pessoa possui um corpo que, em alguns detalhes, se diferencia dos outros. A própria anatomia é um fator individual. Muitos bateristas se prendem aos modelos, e até mesmo copiam a montagem do kit e a maneira de tocar de seu baterista predileto. Mas, você tem a mesma anatomia que ele? Você passou pelos mesmo processos de aprendizagem que ele para chegar a essa montagem? Você possui a mesma estatura que ele para regular o seu banco na mesma altura que ele regula? Pense nisso, trabalhe sempre a favor da sua natureza e da sua realidade!
Respiração – oxigênio é nossa fonte de energia primária. A própria respiração é essencial à vida. Os bateristas tendem a tomar o fôlego com a música e a prender a respiração quando fazem um “fill”. Pensando nisso, nós temos que respirar de um jeito independente da maneira de tocar.
Uma boa postura é o fator mais importante. A postura correta permite que nosso organismo execute suas funções corretamente. O diafragma, pulmões e abdômen podem trabalhar normalmente. Hidratação – quando tocamos bateria, especialmente em shows, nosso corpo consome muita água. É extremamente importante manter um nível alto de H2O no corpo a todo instante. O único modo de fazer isso é beber água antes, durante e depois de você tocar. A água é uma ferramenta excelente para manter seu organismos limpo e com bom funcionamento.
A própria hidratação pode lhe ajudar a evitar a fadiga. A fadiga é, simplesmente um prelúdio para a desidratação. Refrigerante, café ou álcool não são aceitáveis para hidratar seu corpo. Refrigerante e café contém cafeína que á diurético. Um diurético é uma substância que aumenta a produção de urina. O álcool também é um diurético, além de alterar seu estado psicológico. O corpo humano consiste em 96% de água. A água é de extrema importância para a vida.
Ergonomia da bateria – agora que você está tocando com uma boa postura, porque destruir esse novo ganho com uma má disposição do seu “kit”? Os tambores devem ser posicionados de certo modo que você os alcance facilmente. Fazendo isso, juntamente com os aspectos que já discutimos anteriormente, você poderá minimizar os movimentos do seu corpo e aumentar sua eficiência. Os movimentos sobre o “kit” todo devem ser feitos com o mínimo de esforço possível. Se você ver o Dave Weckl tocar, verá um bom exemplo disso.
Concluindo, é útil examinar os bateristas que se utilizam desses princípios. Alguns deles são: Steve Gadd, Dennis Chambers, Steve Smith, Vinnie Colaiuta e Dave Weckl. Mas aplique esses princípios à sua realidade! Pondo em prática os conceitos que vimos aqui ajudará você a reavaliar seu sistema físico e proporcionará um melhor desempenho com menos desgaste, evitando também problemas como a L.E.R.
Faça suas experiências e boa sorte!

Nenhum comentário:

Postar um comentário